Sábado, 19 de Outubro de 2019
19/09/2019

Saúde detecta queda no movimento do Pronto Atendimento

Saúde detecta queda no movimento do Pronto Atendimento

Com a instalação do Programa Mais Médicos em Guaraci, a Diretoria de Saúde constatou uma queda de 20% no número de atendimentos no Pronto Atendimento do Hospital Municipal. Levantamento mostra (veja o gráfico) que com a chegada dos novos médicos, que atendem todos os dias nas Unidades Básicas de Saúde (UBS), o número de pacientes que procuram o Hospital diminuiu acentuadamente. Apesar disso, Hospital Municipal também recebeu mais um médico, que faz dupla com o plantonista, durante o dia, de segunda a sexta-feira.

 

“Com a entrada dos profissionais José Roberto Lopes Ruela e Daniel Aparecido Santos, que estão atendendo na UBSF do Jardim Acapulco e no Centro, respectivamente, o movimento no Hospital Municipal caiu vertiginosamente. Já o médico Ismar Contro atende todos os dias no Hospital Municipal. Com os novos médicos se dedicando ao atendimento ambulatorial, aos poucos o pronto atendimento vai voltando a sua real condição, que é de atender urgências e emergências”, disse o diretor de Saúde, Alexandre Reis, que ressaltou ainda: “Algumas pessoas ainda não entendem que o Hospital Municipal não deve ser acionado para uma gripe, um resfriado. No Hospital devem ser atendidos pacientes com ou sem risco de vida, cujos agravos à saúde necessitam de atendimento imediato, por isso seu funcionamento é durante 24h por dia. Podemos citar como exemplo acidentes de trânsito, agressões por arma de fogo ou arma branca, hemorragias, fratura, picadas de animais peçonhentos (escorpião, cobra, aranha etc.), dificuldades respiratórias agudas, todos esses problemas requerem atendimento em unidades hospitalares de forma imediata. A isso, podemos incluir também casos agudos, porém, com menor gravidade. Nessa modalidade podem ser atendidas pessoas com doenças agudas, manifestados por sinais e sintomas como febre, diarreia, dor de cabeça, dor de ouvido, dor de garganta, dores nas costas, entre outras, no caso das UBS estarem fechadas, como nos fins de semana ou feriados. Em dias normais, esse atendimento deve ser feito pelos Médicos de Saúde da Família nas UBS”, explicou Reis.

Os atendimentos de especialidades, como pediatria, cardiologia, ginecologia, odontologia e outros, devem ser feitos nas UBS, assim como os atendimentos ambulatoriais e de atenção básica, como o acompanhamento de doentes crônicos. As vacinas para as crianças e adultos também estão concentradas na UBS do Centro.

“Com tudo isso, em alguns dias da semana, podemos registrar nove médicos trabalhando ao mesmo tempo na cidade, somando-se os clínicos gerais, especialistas e plantonistas. Em relação a outros municípios da nossa região e de outras, é uma situação privilegiada. O atendimento médicos em Guaraci é de excelência e nossos usuários têm muitas vantagens em relação a outros, de outras cidades, que passam por situações de risco por falta de profissionais”, disse Alexandre Reis, que completou: “Esperas absurdas de até 8 horas na fila de um pronto-socorro, falta de médicos e exames e falta de veículos para transporte de pacientes: essa é a realidade de muitas cidades, mas que felizmente, não é conhecida da nossa população. Temos nossas limitações e problemas, mas prezamos sempre pela manutenção de um bom atendimento aos nossos usuários”, completou Reis.

Até o final deste ano, a Diretoria Municipal de Saúde deve terminar a implantação da informatização  total da Saúde em Guaraci, o que vai permitir um controle muito maior do acesso ao sistema e mais segurança aos usuários. Os equipamentos para  já estão à disposição da Prefeitura e da Diretoria de Saúde, que trabalham agora para a instalação e funcionamento de todo o sistema. Um empresa  contratada  através de licitação, será a responsável pelo programa e pela manutenção do sistema, que começa a ser instalado nos próximos dias.