Quarta-Feira, 23 de Janeiro de 2019
19/03/2015

Auditores da CGU avaliaram Guaraci positivamente

 

Os auditores da Controladoria Geral da União (CGU) que chegaram a Guaraci na última segunda-feira (16) se reuniram com o prefeito Renato Azeda, os secretários e diretores municipais, para fazer um resumo do seu trabalho e do que encontraram na nossa cidade. Os nove auditores vieram a Guaraci dentro do programa de “Fiscalização por Sorteios Públicos”, realizado no auditório Caixa Econômico Federal, em Brasília, no último dia 2 de fevereiro. Os auditores vistoriaram documentos e projetos de todas as obras realizadas na cidade com recursos do Governo Federal, além de fiscalizarem máquinas e equipamentos utilizados em diversos setores. “A ideia do nosso trabalho é apoiar a gestão municipal, mostrando os erros e sugerindo soluções. Para isso, somos treinados em distinguir entre fraude e erro. Nós não encontramos grandes problemas em Guaraci e temos certeza que os que forem apontados nos nosso relatório, serão sanados rapidamente”, disse o coordenador do grupo, auditor Luis Roberto Machado, que ressaltou ainda: “Queremos agradecer a acolhida e temos que registrar que essa foi a primeira cidade onde encontramos como pedimos, todos os documentos digitalizados, o que agilizou nosso trabalho. Tanto, que estamos deixando a cidade antes do prazo. Nas nossas próximas auditorias, vamos pedir para os administradores ligarem para o Carlos (Carlos Henrique Ramalho de Almeida, diretor de Administração), para como fazer direito e facilitar nosso trabalho”, brincou o auditor. Todos os profissionais discorreram sobre suas áreas de atuação e descreveram o quadro administrativo que encontraram. “Sem dúvida, o maior problema são as obras paradas por não receberem os repasses do Governo Federal. Essa é uma questão que poderá ser levantada pelo gestor com a ajuda do documento que nós vamos entregar para a CGU. Nosso relatório vai indicar, inclusive, que existem obras que foram feitas a mais do que já foi pago, como é o caso do Complexo Poliesportivo do Jardim Acapulco e o prefeito pode cobrar a solução do Governo Federal, usando nosso relatório final”, disse Machado. O prefeito Renato Azeda explicou que essa é uma antiga reivindicação, ou seja, o pagamento mais célere, mas sempre existem atrasos. “Isso acaba limitando o número de empresas que se propõem a fazer obras federais, pois o dinheiro demora muito a chegar. Às vezes, o município tem dificuldades para a contratação por conta desses atrasos”, disse Renato Azeda, que agradeceu a todos os auditores e aos funcionários, que se desdobraram durante esta semana para atender todos os pedidos. “No mais, a cidade está de parabéns!  Os erros encontrados são pontuais e na maioria, de fácil solução. Não é nossa função julgar a capacidade dos gestores. Isso fica para a população e certamente Guaraci se destaca na sua organização”, disse o auditor Luis Roberto Machado. Guaraci é um dos seis municípios do Estado de São Paulo e um dos sessenta no Brasil, que receberam fiscalização especial da CGU.


*O Programa de Fiscalização por Sorteios Públicos é uma iniciativa do governo federal, que visa inibir a corrupção entre gestores de qualquer esfera da administração pública. Criado em abril de 2003, o Programa usa o mesmo sistema de sorteio das loterias da Caixa Econômica Federal para definir, de forma isenta, as áreas municipais e estaduais a serem fiscalizadas quanto ao correto uso dos recursos públicos federais. A cada sorteio são definidos 60 municípios, onde os auditores da CGU examinam contas e documentos, além de inspeção pessoal e física das obras e serviços em realização. Fazem parte do sorteio municípios com até 500 mil habitantes, exceto as capitais estaduais. (*informações do CGU)